Para bióloga, 70% das praias do Paraná estão limpas

Clécio João TkachechenAumentaram para 11 os locais próprios ao banho nas praias na avaliação do IAP, informou o secretário do Meio Ambiente, Rasca Rodrigues. Mas estudo da bióloga Franciane Pellizzari, indica que se os boletins não tivessem que considerar as cinco últimas coletas, poderia se divulgar que 70% das praias do Paraná estão limpas.

Tornam-se próprios para banho os pontos localizados no balneário de Praia de Leste, 150 metros à esquerda da Avenida Copacabana; no balneário de Ipacaray, o ponto localizado em frente à rua Ponta Grossa, na praia Mansa de Caiobá, o ponto localizado na direção da Rua Céu Azul e no Balneário Eliana em Guaratuba. Em Caieiras (Guaratuba) o ponto da rua Frederico Nascimento, que estava adequado, se tornou impróprio.

Além destes novos pontos, mantiveram-se próprios para banho o balneário de Gaivotas, o ponto localizado a 50 metros à direita da rua Padre Osvaldo Gomes; balneário Flórida, ponto localizado 60 metros à direita da rua da Saudade; em Matinhos, à direita do Morro na altura do SESC; na Praia Brava de Caiobá, ponto localizado na rua Alvorada; em Caieiras, na rua Frederico Nascimento; balneário Brejatuba, ponto localizado na rua Jacarezinho e ainda no Brejatuba, o ponto localizado rua Pedro Álvares Cabral; e no Balneário Nereidas, na rua Costa Rica.

Rasca Rodrigues antecipou o resultado previsto para quarta-feira (24),durante a Escola de Governo desta terça-feira (23) o resultado do segundo boletim de balneabilidade. As análises, representam uma melhora em relação à semana anterior, quando apenas oito pontos encontravam-se próprios para banho nas praias e outro no rio

De acordo com o secretário, o resultado deste segundo boletim foi antecipado em um dia, excepcionalmente, em função do feriado de Natal. Ao todo são monitorados 38 pontos na orla e outros cinco pontos na Ilha do Mel. O IAP também analisa cinco rios utilizados pelos banhistas para práticas esportivas e recreativas, em Morretes e Antonina.

“O mar está reagindo bem e o governo do Estado tem trabalho intensamente para garantir a qualidade do nosso litoral e suas águas. A Sanepar fez um avanço estrondoso e implantou três novas Estações de Tratamento (Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná) para atender a população flutuante. Isso significa que não precisaremos mais, no futuro de novas estações; bastará angariar recursos junto à Caixa Econômica, por exemplo, para fazer novas ligações”, afirmou o secretário.

Ele lembrou que a divulgação do monitoramento da qualidade da água é uma obrigação dos órgãos ambientais e que está prevista na legislação.

“Algumas pessoas acham que não devemos mostrar onde está a poluição. Mas essa é uma obrigação nossa, do órgão ambiental, definida pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e, além disso, é uma questão de saúde pública”, reforçou.

Para um local ser classificado como próprio para banho, pelo menos 80% das amostras coletadas nas últimas cinco semanas devem apresentar até 800 escherichias coli para cada 100 mililitros de amostra. Apresentando mais de 2 mil coliformes fecais por 100 mililitros, o local é considerado impróprio para banho.

Na realidade, 70% das praias estão limpas, diz bióloga

A bióloga Franciane Pellizzari, que está coordenando as análises da balneabilidade através da parceria formada entre o IAP e a Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Paranaguá, tem se dedicado a estudar a metodologia exigida pelo Conama, em relação à costa paranaense. Ela atua no laboratório de Ficologia Marinha e Botânica Costeira da Faculdade.

Para ela, a porcentagem de recirculação das águas na costa paranaense é alta o suficiente para diluir a poluição, porque há uma renovação nas marés altas devido à diferença de costa que existe. Se tivessem áreas balneáveis em baías a resolução seria cabível.

“Nesta análise mantivemos a maioria dos pontos com índices inferiores a 800 escherichias coli. Se não tivéssemos que considerar as cinco coletas anteriores estaríamos com 70% das praias limpas”, destaca a professora.

O QUE DIZ A LEI – Os locais avaliados são escolhidos de acordo com a concentração de banhistas e freqüência que são utilizados para recreação. O boletim divulgado nesta terça-feira (23) avaliou o resultado de cinco coletas semanais consecutivas, exigidas pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) para que se defina o índice de poluição. A balneabilidade indica apenas 200 metros de praias interditadas, sendo 100 metros à esquerda do ponto analisado e 100 metros à direita, o restante da área está liberado.

Fonte:correiodolitoral

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: