Durval Amaral coordena projeto de corte de cargos na Assembleia

Foto: Fábio Alexandre Paraná Online

A Assembleia Legislativa do Paraná realizou neste mês o corte de cerca de 40% de funcionários dos gabinetes parlamentares, das lideranças ou blocos partidários, da mesa diretiva e das comissões. Em um total de 1.674 cargos previstos na Lei n° 16.390/10, apenas 1.034 foram preenchidos, o que representa 63,28% dos cargos. O deputado Durval Amaral (DEM), responsável por coordernar o cadastramento dos funcionários que resultou no corte de cargos, subiu nesta segunda-feira (24) na tribuna do plenário da Assembleia para avaliar os resultados do trabalho. Durval Amaral vem se esforçando há muito tempo na introdução do processo de moralização da Casa, desde que criou, no ano passado, o Portal da Transparência.

Segundo o deputado, o principal resultado do trabalho foi dar à sociedade paranaense as respostas esperadas. “O conjunto dos deputados estaduais trabalhou para construir uma nova Assembleia. O entendimento é que essa é a vontade da sociedade”, avaliou. O deputado diz que o enquadramento só foi possível por que, no final do ano passado, os deputados haviam aprovado a Lei n°16.390/10, de autoria de Durval Amaral. Já neste momento, a Lei propunha novas diretrizes para a Casa. “Isso foi o que a sociedade quis e os deputados entenderam. Não é possível separar o parlamento da sociedade. O rumo da Assembleia está traçado e o alicerce é sólido”, disse.

Amaral explicou que a Lei aprovada em dezembro do ano passado já determinava a extinção de cargos e a mudança de simbologias. Além disso, prevê que seja publicada lotação dos servidores. Estes dados vão compor os diários eletrônicos da Assembleia, que já estão prontos e passam a ser divulgados já a partir da próxima semana. “Este será um instrumento eficiente para que seja realizado o controle social, político e financeiro da Casa”, explicou Amaral, também responsável pela lei que determina a publicação dos diários na internet.

Além de avaliar os resultados, o deputado aproveitou o momento no plenário para divulgar os números para os outros parlamentares. Nos gabinetes, foram preenchidos 843 cargos. A previsão legal é de 1.242. Isso significa que 32,12% dos cargos disponíveis nos gabientes dos 54 deputados continuam vagos.

Nas Liderenças ou Blocos Partidários, estavam previstos 132 cargos, dos quais 109 foram preenchidos, o que representa 17,42% dos postos vagos. Na Mesa Diretiva, composta pela Presidência, 1° Vice-presidência, 2° Vice-presidência e as cinco Secretarias, 12,5% dos cargos continuam vagos. Num total de 72 disponíveis, somente 63 foram preechidos.

Nas Comissões da Assembleia, a Lei 16.390/10, aprovada no início do ano, prevê um total de 228 cargos. Desses, apenas 19 foram preenchidos, representando um total de 91,66% de cargos vagos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: